NFL

Redzone: o Detroit Lions e minha relação com as apostas esportivas

Detroit Lions apostas esportivas

Eu poderia estar escrevendo sobre a tabela da NFL. Sobre o monstruoso Philadelphia Eagles, que meteu 51 pontos em uma defesa que considerávamos top. Ou então a subida de produção do Pittsburgh Steelers. Mas estou aqui, escrevendo uma coluna sobre Green Bay Packers 17 x 30 Detroit Lions. Um jogo que você nem deve lembrar mais e que eu precisei esperar dois dias para falar.

A razão para essa escolha é que eu preciso escrever sobre apostas. No caso, apostas esportivas. Quando digo que sou um apostador, as reações que recebo me fazem pensar que se anunciasse que fumo duas pedras de crack para começar bem o dia não seria visto tanto como um degenerado.

A principal lei que versa sobre apostas tem a assinatura do General Dutra, que poderia ter ficado com a ideia da estrada só. E há uma razão para ela durar desde 1946 até agora e é a mesma que gera as reações que citei acima: não houve interesse ou movimentação suficiente grande para mudar isso. Não vou aqui ficar falando como seria bom que mudasse, o importante é que como a lei é de 1946 e a internet não tinha sido criada, por isso você vê anúncios de casas de apostas em todos os canais de televisão e sites como o Quinto Quarto.

Claro que sempre tem os caras que jogam a vida no esgoto por causa de um jogo da 17ª rodada da Premier League.  Para mim, é a dose de emoção em um jogo do Campeonato Brasileiro em um domingo sonolento, que você está torcendo para ter mais dois escanteios para ganhar uma aposta. Tenho vários momentos memoráveis porque tinha dinheiro envolvido e já falo deles mais abaixo.

Para esclarecer a relação entre apostas e Detroit Lions, eu falei a semana inteira passada que os Packers não tinham chance. No nosso podcast escolhi o Detroit Lions nos palpites, mesmo no Lambeau Field. Vendo o jogo, sem ter feito uma aposta, logo vejo os Lions avançando e me sinto um burro por não ter entrado. Para ter uma aposta verdadeiramente saborosa, escolhi “Detroit Lions vence por MAIS DE 13 pontos”.

Avança para o final da partida.

Bola na mão dos Lions, na red zone mais uma vez. E novamente, em vez de touchdown, que deixaria o jogo 34 a 10, o time faz apenas um field goal. Faltando menos de dois minutos, eu sempre vou recomendar o seguinte: se há a possibilidade de sair da aposta com algum lucro, SAIA. Fuja como um bom quarterback detecta a blitz e foge dela porque o garbage time é sempre uma loteria.

E o pior: Brett Hundley, que está tão longe de Aaron Rodgers como eu estou de Aaron Hernandez, errou uma quarta descida. Só que teve falta na end zone. Bola na linha de uma jarda, corrida pelo meio que os Lions não sabem fazer, touchdown. Placar final: 30 a 17. Há uma razão para as casas de apostas colocarem o handicap em 13,5: porque se fosse 13 e a diferença fosse exatamente essa, as apostas seriam anuladas. Com 13,5, você precisa de MAIS DE 13. Imagina minha alegria às duas da manhã.

E o pior é que não dá nem para culpar Deus, Brett Hundley ou Las Vegas. Já ganhei apostas por meio ponto também. Cito mais dois exemplos curiosos.

– Logo no começo dos playoffs da temporada 2016 da NFL, apostei que o New England Patriots seria favorito, pagando 3,40 para 1. Imagina como fiquei na reação contra os Falcons. Só não estava mais animado que o editor de NFL deste site, Bruno Bataglin, torcedor do New Orleans Saints.

– E tem também a Eurocopa de 2016. Aqui vale um esclarecimento: eu não nasci em Portugal, mas morei lá a partir do meu primeiro ano de idade e por mais de uma década. Tecnicamente sou cidadão português, gosto de bacalhau, tenho uma mãe que mora lá e até “condutor de carrinha” posso ser.

Só que na Eurocopa de 2016 eu apostei na fase de grupos que o vencedor do torneio seria ou Alemanha ou França. Quando nas semifinais os dois ficaram frente a frente, estava tranquilo por que do outro lado estava Portugal e País de Gales.

Portugal passa, França passa. França jogando em casa, pensava que minha aposta estava garantida. Mais ainda quando Cristiano Ronaldo sai de campo lesionado no primeiro tempo. Ainda assim o jogo vai para prorrogação… e Éder, que hoje deve trabalhar como contador na Ilha da Madeira, faz o gol do título. Aqui, se eu fosse um degenerado completo por apostas, teria esquecido minha nacionalidade e quebrado a minha casa.

Com este texto, além de perder o amor dos lusitanos, ainda não vou poder me candidatar à presidência do Brasil por estar semi-quebrando uma lei idiota de 1946.  Minha intenção com isto é a seguinte: caso você ouça um podcast esportivo feito por americanos ou entrar nos sites de ligas americanas, você verá referências a apostas e os valores estabelecidos por Las Vegas, representando os cassinos, como informação muito válida. E isso é muito simples de explicar.

Enquanto aqui, com nosso futebol, nossa referência em ciência e estatísticas é o Tite no “Bem Amigos” e um mapa de calor do campo, pode ter certeza que os cassinos de Las Vegas têm uma estrutura muito maior para estabelecer seus valores e conseguir dinheiro em todos os lados possíveis. É por isso que eles bolam linhas absurdas como “Detroit Lions vai ganhar por mais de 13 pontos? Sim ou não?” E, no fim, o maldito Detroit Lions ganha por 13 pontos. É por isso que todos os indicativos que os cassinos nos dão, nós que trabalhamos com informação, palpites e esporte temos que seguir e entender.

Pelo menos para compensar a raiva, eu hoje no meu trabalho, que não é só o Quinto Quarto, produzo conteúdo e lido com dados para site de apostas e afiliados. E é provável que o Quinto Quarto receba aportes de dinheiro de empresas que lucraram com minha desgraça por anos. Na verdade, para ser justo, eu mais ganhei dinheiro do que perdi até agora. Dica: a NFL costuma ser uma boa e a NBA também. O futebol, por causa do maldito empate, é uma roleta.

Mas independentemente das largas somas de dinheiro que nós necessitamos para manter o estilo de vida extravagante de nossos colaboradores e nosso podcast gravado em um estudo panorâmico no prédio da Gazeta, na Avenida Paulista, eu realmente acho interessante falar sobre o mundo das apostas. Caso você não curta ou ache que vai perder seu rim nas mãos de um agiota romeno, não entre nessa. Pelo menos você não passar a raiva com a “defesa preventiva” do Detroit Lions.

Comments
To Top