Redzone

Butt Fumble: Um lance que voltou para assombrar o New York Jets

(Crédito: Divulgação)

(Crédito: Divulgação/ Instagram)

Com a temporada da NFL ainda longe de começar e com os times apenas iniciando seus primeiros treinamentos táticos, a coluna Redzone desta semana analisará um dos lances mais bizarros do esporte nos últimos anos que volta a ser assunto nos principais meios de comunicações: o Butt Fumble, de Mark Sanchez.

Jogada que gostaria de ser esquecida por quase 100% dos torcedores dos Jets, o Butt Fumble foi a perda da bola cometida pelo quarterback do time de Nova York ao bater com o seu rosto direto nas nádegas do jogador de linha ofensiva e companheiro de time Brandon Moore.

Lance ocorrido durante o segundo quarto no terceiro jogo do tradicional Dia de Ação de Graças contra o New England Patriots em 2012, a jogada voltou aos noticiários após quase dois anos graças ao um torcedor desconhecido do próprio New York Jets chamado Jake Hendrickson, que arrematou a camisa usada pelo ex-quarterback em um site de leilão pelo valor de US$ 820.

 

Selecionado na quinta posição geral do draft de 2009, Mark Sanchez chegou ao New York Jets como uma nova esperança para franquia, principalmente pelos seus números expressivos na universidade, quando atuou por quatro anos na USC e foi comandado pelo atual campeão do Super Bowl, Pete Carroll.

Embora tenha sido titular absoluto por três anos, Mark Sanchez acumulou diversos problemas de relacionamento com jogadores e também com o técnico Rex Ryan. Dezenas de interceptações foram aos poucos destruindo o belo trabalho feito no ano de estréia na liga, quando foi superado apenas pelo Indianapolis Colts na final da conferência americana.

Butt Fumble, muito mais que um erro durante uma partida transmitida em rede nacional, foi o reflexo de uma equipe que ao longo dos anos perdeu sua identidade, que era conhecida pela sua forte defesa e virou motivo de piada para os torcedores rivais.

Comments
To Top