Redzone

REDZONE: Equipes relaxadas, relevantes ou imprevisíveis

(Crédito: Instagram/reprodução)

(Crédito: Instagram/reprodução)

É duro ter que escolher apenas um tema para a coluna Redzone. Então vamos ao apanhadão e um texto quilométrico.

Green Bay Packers “relaxado”

Que me desculpem os torcedores dos Packers, mas nas três primeiras semanas o time estava um lixo. A defesa principalmente preocupava e o ataque não cumpria o que prometia. Tanto que era o 28º da liga em jardas e torcedores da franquia já começavam a culpar a atriz Olivia Munn, namorada de Aaron Rodgers, pela queda de rendimento. O que disse o quarterback no meio da semana para quem já entrava em pânico? “Relaxem”.

E como é bom ter um quarterback desse calibre para poder relaxar. Contra o arquirrival Chicago Bears, no Soldier Field, o relaxado Rodgers passou para quatro touchdowns e 302 jardas. A defesa deixou Matt Forte deitar e rolar e é um caos contra o jogo corrido, mas forçou turnovers, o que já é bastante positivo.  Vitória enorme em uma divisão que bater um rival de alto nível, fora de casa, devia valer por dois. Aliás, Lions, Packers e Bears podem ir juntos para os playoffs. Time todos eles têm.

Tem muita franquia com uma vitória ou nenhuma que gostaria de ter um quarterback dizendo para relaxar, que no fim tudo dará certo.

Cowboys bem e Giants melhorando

A NFC Least evoluiu da última temporada para esta. Da parte dos Giants não precisava muito, já que a equipe começou de forma tenebrosa. Mas Eli parece que pouco a pouco se acostuma ao esquema de Ben McAdoo e a defesa tem excelentes nomes.

Já os Cowboys: ATÉ QUE ENFIM. O ataque todos sabíamos que colocaria bastantes pontos no placar, mas com a ajuda de DeMarco Murray, líder disparado da NFL em jardas carregadas, fica difícil de parar. A defesa está longe de ser aquela Brastemp, e isso é algo que tem que ser melhorado. Depois de três anos seguidos chegando na última semana com chances e perdendo duelos diretos para seus três rivais de divisão, em 2014/15 as coisas podem melhorar. Podem. Vamos ter calma.

E os Redskins? Admito que me iludi com Kirk Cousins. Mas depois de uma das piores performances de um quarterback que eu vi na vida, faço esta retificação.

Qual Steelers é o verdadeiro? – Segunda semana seguida com a mesma pergunta

Na última Redzone perguntei qual time de Pittsburgh era o real. Se o que deu um vareio nos Panthers e nos Browns no primeiro tempo ou o que levou uma surra dos Ravens e dos Browns no segundo tempo? Pode adicionar também se é o que perdeu dos Buccaneers, em casa, com Mike Glennon de titular, com um TD nos últimos segundos. Uma coisa que podemos saber, com certeza, é que a defesa adora levar pontos.

Mas este é apenas um preâmbulo para dois pontos, que são:

Que liga é essa?

O Tampa Bay Buccaneers levou na semana passada 56 a 14 no lombo, uma pancada oferecida pelo Atlanta Falcons, hoje líder da NFC South, junto com o Carolina Panthers. O mesmo Panthers que estava 2-0 e, em casa, não viu a cor da bola contra o Pittsburgh Steelers. Então, se os Steelers venceram fora de casa um time bom da NFC South, vai vencer dentro de casa um time que se mostrou horrível da NFC South, certo? Errado. Ah, vai tomar banho.

NFC South fraca

Favorito, inclusive pra mim, para conquistar a NFC, o New Orleans Saints é uma grande decepçã por enquanto. Mas mesmo com uma vitória em quatro jogos, a equipe está um triunfo atrás de Falcons e Panthers. Pelo que tudo indica, o que a NFC East foi temporada passada, a South será este ano, com um campeão de 8-8 ou 9-7.

Se for os Saints, provável que seja 8-8, já que a equipe é um Santo dentro de casa e um reles mortal fora.  E a defesa que tinha melhorado absurdos, regrediu muito: 38 pontos sofridos contra os Cowboys, 26 contra os Browns e 37 contra os Falcons.

Falcons e Panthers são inversos: o primeiro tem um belo ataque. O segundo uma ótima defesa. Mas os Falcons tem uma defesa que sofre pontos de baciada. E os Panthers simplesmente não conhecem a palavra regularidade.

Steve Smith manda um abraço para os Panthers

Será que realmente não dava para Steve Smith ficar em Carolina e ser, por exemplo, o mentor de Kelvin Benjamin? Imagina esses dois juntos. A liberação do veterano wide receiver, líder em jardas da história dos Panthers, até hoje está mal contada. O temperamento explosivo do jogador, quase tanto quanto suas pernas, deve ter ajudado.  Só que fazendo o que ele faz nos Ravens, dava para aguentar as baboseiras. Joe Flacco agradece.

San Diego Chargers explosivo

Nona melhor defesa em jardas cedidas por jogo e 16º melhor ataque.  Vendo assim não parece nada demais. Mas é. O San Diego Chargers perdeu a primeiras partida, contra o invicto Arizona Cardinals, em Glendale, por apenas um ponto. Depois venceu o Seattle Seahawks, bateu os Bills em Buffalo e fez a obrigação ao vencer os Jaguars.

Entre os titulares, Philip Rivers é o segundo da NFL em porcentagem de passes completos (70,1%, um por cento abaixo de Drew Brees) e tem Keenan Allen e Eddie Royal com turbos na chuteira de alvos. A equipe já foi para os playoffs em 2013/14 e tem tudo para ir novamente.

 

Comments
To Top