Cachorrada

Conheça os detalhes sobre como o Baltimore Ravens tentou abafar o caso de Ray Rice

(Crédito: Instagram/reprodução)

(Crédito: Instagram/reprodução)

Cortado do Baltimore Ravens e suspenso da NFL por tempo indeterminado, a história da agressão de Ray Rice a sua mulher em um cassino em Atlantic City no mês de fevereiro parece ser muito mais profunda do que se sabe até agora.

Uma possível rede que tentou abafar o caso teria envolvido um chefe de segurança que se passou por torcedor, um comissário que “tentou” esconder o conteúdo das imagens e o dono da franquia que, mesmo sabendo da agressão desde o primeiro momento, se negou a punir o atleta de forma exemplar.

Publicado na noite da última sexta-feira, 19, o blog “Outside the lines”, da ESPN, revelou diversos detalhes sobre o comportamento dos envolvidos, principalmente de Steve Bisciotti, dono da franquia do estado de Maryland, e de Roger Goodell, comissário geral da liga.

Com mais de 20 entrevistas com 11 pessoas que só concordaram falar sob a condição de permanecerem em anonimato, os jornalistas Don Vatta Jr e Kevin Val Valkenburg demonstram que todos os envolvidos sabiam desde o primeiro momento o conteúdo integral do vídeo que foi publicado de forma completa apenas em setembro pelo site TMZ, especialista em cobrir celebridades.

O acontecimento

Em uma viagem para comemorar o dia dos namorados com sua noiva e também com diversos amigos de infância na cidade de Atlantic City, o ex-running back do Baltimore Ravens, Ray Rice, passou diversas horas jogando em um cassino e bebendo tequila.

De acordo notícias apuradas pelos jornalistas, o início dos problemas teriam ocorrido após o atleta receber uma mensagem de uma funcionária dos Ravens em seu celular, e possivelmente uma amante, o que teria deixado sua futura esposa extremamente irritada.

Após uma séria discussão entre eles, os dois entraram no elevador e Janay Palmer teria batido diversas vezes no peito do atleta. Inconformado com a atitude de sua companheira, Rice acertou o rosto da mulher com um soco, deixando-a desacordada imediatamente.

Após ser detido de madrugada, por volta das 3 horas, pagar fiança e ser liberado, Ray Rice voltou para Maryland, onde encontrou seu grande amigo e preparador físico, Kyle Jakobe.

Chorando copiosamente, o jogador contou para o amigo toda a história e dizia estar extramente arrependido pelo acontecimento, e principalmente pela repercussão que o fato teria sobre a imprensa após inúmeros casos de violência doméstica com atletas da NFL.

“Ele está travado. Enquanto chorava, Rice me contava como tudo aconteceu, principalmente que com um soco de esquerda derrubou Palmer e deixou ela desmaiada no chão do elevador”, disse Jakobe, um dos únicos que permitiu que a reportagem revelasse seu nome.

Após este encontro, foi a vez de se reunir com a diretoria da franquia. Ozzie Newsome, gerente geral da equipe e um dos presentes na sala de reunião, conversou por um longo tempo com o atleta e ficou decidido que era necessário encontrar um advogado criminal altamente gabaritado que trouxesse o menor dos problemas públicos para ambos os lados. Algumas fontes presentes na reunião alegam que Ray Rice implorou para que fizessem tudo para que ele não fosse preso.

Ao contrário do comportamento dos dirigentes, John Harbaugh, técnico da equipe, teria pedido o desligamento automático de seu jogador durante uma reunião com toda a diretoria da franquia. Porém, por motivos de importância e da história de Ray Rice em Baltimore, os diretores resolveram manter o atleta, mesmo que fosse necessário abafar o caso de todas as maneiras.

De acordo com a apuração do blog, os dirigentes se recusaram a tomar tal atitude já que Ray Rice era uma das pessoas mais ativas na comunidade, principalmente por iniciar campanhas contra o “bullying” e a violência doméstica e ser um dos poucos remanescentes do título do Super Bowl contra o San Francisco 49ers, no início de 2013.

Mudança de rumo na investigação

Embora o caso estivesse em processo de ser esquecido, o site TMZ publicou no dia 20 de fevereiro uma pequena parte do vídeo, o que fez mudar todo o rumo da investigação. O Ministério Público da cidade de Atlantic City resolveu entrar no caso e processar criminalmente Rice por agressão, o que poderia deixar o atleta preso por um período de até 5 anos.

O advogado do Ravens e de Ray Rice, Michael Diamondstein, recebeu no mês de abril a versão completa do vídeo através de uma medida judicial contra o cassino. Após assisti-lo por completo, ele indicou que Ray Rice seria altamente prejudicado caso a gravação fosse divulgada.

Buscando uma saída que não o prejudicasse, Diamondstein buscou de diversas formas elaborar uma defesa que livra-se Ray Rice de severas punições. A primeira ação foi convencer o atleta a participar de uma espécie de programa de intervenção para pessoas que cometeram tal crime, já que isso poderia ajudar em possível julgamento, tanto na frente do juri como com os diretores da liga de futebol americano. Outra medida foi a elaboração de 30 cartas por ex-colegas, pessoas importantes dentro da comunidade e até celebridades que falariam do histórico do jogador e como ele era uma pessoa que jamais teria a intenção de machucar a sua esposa.

A suspensão

Em 25 de julho, Roger Goodell publicou, através de uma nota oficial, que o running back do Baltimore Ravens estaria fora dos dois primeiros jogos da temporada regular.

Embora tenha sido criticado exaustivamente pela punição aquém do esperado, o comissário geral da liga se manteve com sua opinião e dizia que os dois jogos eram suficiente para Ray Rice, já que em uma reunião com o atleta e sua esposa teria ficado claro que ambos estavam arrependidos do acontecimento.

Ainda de acordo com o jornalistas da matéria, uma razão para a pequena punição seria uma “grande amizade” entre Goodell e Steve Bisciotti, já que ambos jogaram por algumas vezes golf em um clube da alta sociedade.

Com início da temporada, Ray Rice convidou diversos amigos para assistirem o primeiro jogo em sua casa, entre eles o preparador físico Kyle Jakobe. Em um discurso para todos os presentes, o jogador agradeceu o apoio de todos e disse que esperava retribuir todo o carinho o mais rápido possível da forma que era melhor: dentro de campo.

Entretanto, desde aquele dia Rice não pode cumprir com sua promessa, já que dias após foi revelado pelo mesmo TMZ a gravação completa de sua agressão, o que deixou a NFL sem possibilidade de defesa e também o Baltimore Ravens ao não ser uma suspensão definitiva e corte do atleta da equipe principal.

Comments
To Top