NFL

Verizon e NFL acertam novo acordo com valor de US$ 2,5 bilhões

Verizon

(Crédito: divulgação)

A National Football League acertou a volta de uma de suas principais patrocinadoras e a Verizon, empresa de telefonia móvel e internet, acertou um contrato de cinco anos com a liga que vai render US$ 2,5 bilhões à NFL.

A informação foi confirmada pelo jornalista Darren Rovell, da ‘ESPN’ norte-americana.

O valor é praticamente o dobro do contrato anterior da Verizon com a liga.

O novo acordo com a maior empresa de internet dos Estados Unidos é diferente do anterior, visto que a Verizon deixou de ser apenas uma operadora de telefonia móvel e internet para também ser uma companhia de conteúdo de vídeo, após as aquisições da AOL em 2015 e do Yahoo! em 2017, por US$ 4,4 bilhões cada.

O contrato permite que a Verizon transmita via streaming jogos da NFL em qualquer um de seus sites, com o Yahoo! sendo o principal deles.

Diferentemente do acordo anterior, que permitia que a Verizon tivesse os direitos de transmissão exclusivos para jogos ao vivo dentro do mercado apenas em telefones celulares, agora os jogos de um determinado mercado estarão disponíveis nas plataformas da Verizon em todos os telefones de todas as operadoras de telefonia celular, a começar pelos playoffs desta temporada. Em 2018, isso vai incluir todos os tablets.

Para monetizar, a Verizon terá um inventário de anúncios nos jogos que transmitir em plataformas móveis, o que inclui jogos de quinta-feira, das tardes de domingo, do Sunday Night Football e do Monday Night Football. Já a DirecTV tem os direitos para todos os jogos de fora do mercado no domingo.

“A mídia é um dos principais pilares para nós agora. E esportes será a parte mais importante desse conteúdo”, falou Brian Angiolet, principal diretor de mídia e conteúdo da Verizon.

Já para a NFL, o acordo proporciona à liga uma maior distribuição, à medida que as pessoas mudam seus hábitos televisivos, segundo Hans Schroeder, diretor de operações de mídia e negócios da NFL.

“Esse modelo permite que nosso produto seja muito mais amplamente disponível e dê maior acesso aos nossos torcedores. As pessoas ainda vão gravitar para assistir jogos na melhor tela possível, que é a televisão, mas para pessoas que estão em movimento e torcedores mais jovens, esse acordo faz sentido”, frisou Schroeder.

Enquanto a audiência da NFL na televisão caiu pela segunda temporada consecutiva, Angiolet disse que não teve preocupação para fechar o acordo porque o celular está tendo um aumento.

“A NFL gera a melhor audiência no celular em nossa experiência. Não só a audiência móvel vem crescendo ano a ano como o consumo da NFL no mobile também tem crescido”, pontuou.

Comments
To Top