NFL

Redzone: os times que eu quero ver na temporada 2017/18 da NFL

Texans Watt Hopkins Clowney

Crédito: Instagram/reprodução

A Redzone tirou um sabático, como você deve ter percebido. Por mais que eu quisesse escrever colunas todas as semanas para manter meu estilo de vida extravagante, a NFL ainda não consegue ser interessante por 12 meses ao ano como a NBA está conseguindo.

Já recebi emails de NFLeiros falando para eu calar a boca e parar de falar tanto de basquete, então paro por aqui com isso.

Muito bem, a NFL agora está voltando à época que importa. O pessoal ainda vai treinar muito de bermuda, correr sem capacete, mas já dá para ter mais gosto de futebol americano que há dois meses, quando o único que os jogadores concorrem é para ver quem vai para a cadeia mais rápido em uma noite.

Como você já sabe, nós do Quinto Quarto amamos duas coisas: prévias e não fazer podcasts regularmente desde 2014  listões. As prévias da NFL vão vir logo logo, se prepare.

Hoje, nesta Redzone da volta, eu vou admitir uma coisa: eu não quero assistir todos os times.

Na temporada passada, eu disse que “torceria” para três equipes: o Buffalo Bills por causa dos irmãos Ryan, o Oakland Raiders que eu achava que tinha potencial (obrigado Derek Carr e sua fíbula) e o Jacksonville Jaguars porque eu achava que ia.

Ou seja, 1/3 nos acertos.

Para esta temporada, eu não quero ver o Baltimore Ravens. Não estou dizendo que eles serão 3-13. Las Vegas coloca a linha para eles em 9 vitórias e você pode apostar se eles ganham mais ou menos. Apostaria em menos, mas apertado.

Para quem já lê minha coluna há algum tempo, sabe que quando eu adoto um time, não necessariamente ele vai chegar longe. Mas ele pelo menos será curioso de ver. Isso ficará claro com minha segunda escolha e por isso vou calar minha boca e começar logo.

  • Houston Texans

Meu time no Madden 17 foi o Buffalo Bills. Online, as pessoas conhecem meus Bills. A linha abre espaços para LeSean McCoy, Tyron Taylor corre bem e passa bem (de vez em quando), Charles Clay é um tight end chatíssimo de marcar, Sammy Watkins manda bem em bolas em janelas apertadas e Marquise Goodwin é imparável em um passe de 60 jardas com cobertura simples. A defesa não é boa, mas consegue interceptações.

Para o próximo Madden, que representa a temporada 2017/18, eu não tenho nem dúvidas: desde o dia 1 terei o Texans em mãos. Primeiro que Jadeveon Clowney, J.J. Watt e Whitney Mercilus vão me fazer ter vontade de defender, algo que no Madden é difícil.

E segundo: Deshaun Watson consegue ser um Tyrod Taylor e terei armas muito melhores. DeAndre Hopkins é muito melhor que Watkins, Will Fuller pode ser o Goodwin da vez e Lamar Miller é um RB acima da média. Vou sentir falta de LeSean McCoy, mas ela vai durar até o primeiro strip sack de Watt.

Ok, voltando ao mundo real, os Texans foram infernais para os Patriots na temporada passada. Se não fosse um drop de Fuller em um bom passe de BROCK OSWEILER na end zone, os texanos até poderiam ter vencido. E para essa temporada, a expectativa de subir é clara. Watt volta após mal ter jogado em 2016, Clowney provou finalmente porque é o número 1 e Watson, mesmo não sendo polido, é um vencedor nato e isso é algo que eu realmente acho que deveria ser mais valorizado em Drafts. Vegas coloca a linha dos Texans em 8,5, abaixo da dos Ravens.

Entenda isso como deve ser entendido.

  • Cleveland Browns

Viu agora o que eu quis dizer? Os Browns finalmente adotaram o tanking da NBA que nunca foi realmente visto na NFL. Até troca para aceitar um salário tóxico de outro time eles fizeram e agora contam com Brock Osweiler no elenco.

Sim, esse time deve ganhar 3, 4 vezes novamente. Mas o plano está claro e alguns jogadores já estão em posição. Myles Garrett foi o número um unânime e a linha ofensiva foi reforçada a toque de caixa: Kevin Zeitler e J.C. Tretter chegaram, Joel Bitonio conseguiu uma extensão e Joe Thomas, queridinho da Redzone, segue. Jabrill Peppers e sua versatilidade, o bom Jamie Collins, Isaiah Crowell e sua força no backfield. Enfim, os Browns têm coisas para mostrar. E estamos no começo da construção.

  • Oakland Raiders

Não vou falar tanto porque já é meio óbvio que os Raiders são uma força, em 2016 até poderia ser novidade, mas não em 2017. Derek Carr e Amari Cooper (menos drops, por favor), Khalil Mack, uma linha ofensiva brutal – Rodney Hudson, Kelechi Osemele e Donald Penn estão na lista de 101 melhores jogadores da temporada 2016/17 do Pro Football Focus.

Playoffs é obrigação, já diria a torcida do Timão.

  • Atlanta Falcons

No talento, o Atlanta Falcons pode perfeitamente voltar ao Super Bowl. Quão forte foi aquela noite em Houston no impacto psicológico e ele vai durar até setembro, outubro, novembro…? Os Falcons serão fascinantes de ver nesta temporada por uma série de pequenas narrativas:

Matt Ryan consegue manter o nível genial?

A saída de Kyle Shanahan vai derrubar o castelo de cartas?

De’Vondre Campbell, Keanu Neal e Deion Jones vão continuar sua evolução?

E a narrativa central já citada: a tabela será mais difícil nesta temporada, com Green Bay em casa, Seattle e New England fora e uma divisão que os três rivais prometem melhorar. O time se recuperou do baque?

Verei e veremos.

Times nos quais prestarei atenção: New England Patriots e a possibilidade de Dream Team, Los Angeles Chargers e suas peças interessantes (Joey Bosa especialmente) jogando em um estádio de futebol minúsculo para os padrões NFL, New Orleans Saints voltando a ser ameaçador (?) e o Tennessee Titans com seu ataque de 1969.

Comments
To Top