NFL

Quinta Descida: as melhores trick plays de 2014

(Crédito: Instagram/reprodução)

(Crédito: Instagram/reprodução)

Ah, a NFL, que saudades.

Essa danada que só aparece a cada seis meses para nós, meros mortais, está perto de retornar, o problema é que os últimos dias são os mais difíceis de aguentar. Passado o draft, a free agency, o que nos resta é acompanhar os chatíssimos training camps, e as prisões dos jogadores. Nada muito divertido, eu admito.

Mas para ajudar a todos que estão com abstinência da bola oval, o Quinta Descida irá relembrar as jogadas que dão ao esporte aquela malemolência, aquela ginga, aquela zoeira que tanto adoramos: as trick plays.

Já fizemos uma lista das melhores da história do futebol americano aqui, e uma análise mais profunda de umas das trick plays mais controversas da história da NFL, o Music City Miracle. Agora vamos nos focar nas jogadas surpresa que aconteceram na última temporada, as quatro mais importantes e criativas que aconteceram na liga em 2014:

Conexão Edelman-Amendola na final da AFC

O jogo estava 14 a 7 para os no início do segundo quarto. Após lento início, os Patriots começavam a se recuperar e estavam apenas a um touchdown atrás dos visitantes. Com a bola no meio do campo, Brady faz um screen pass para Julian Edelman, seu wide receiver favorito na temporada. Até ai tudo bem, uma vez que New England já havia utilizada essa jogada algumas vezes durante a temporada. Porém Danny Amendola, que estava do lado de Edelman no início da jogada, havia continuado a correr mesmo após o passe de Brady. Em jogadas normais de Screen, Amendola ajudaria nos bloqueios para limpar o caminho para o camisa 11. Mas aquela não era uma jogada normal.
Logo após receber o passe, Edelman se preparou para lançar, e foi então que todos se lembraram: o jogador fora quarterback em sua universidade, Kent State. A defesa dos Ravens não esperava pela trick play, e la estava Amendola, sozinho, para anotar um touchdown de 51 jardas que empataria o jogo.

Fake Field goal dos Seahawks

O Seattle Seahawks enfrentava o Green Bay Packers na final da NFC em casa. A equipe do estado de Washington vinha fazendo a sua pior partida na temporada, e estava perdendo a partida por 16 a 0 faltando cinco minutos para o final do terceiro quarto. A perspectiva dos Sehawks era a pior possível: Lynch não havia se encontrado no jogo, Russell Wilson já havia sido interceptado três vezes e a defesa só não havia tomado mais pontos por covardia dos Packers.
Se a defesa nem o ataque resolviam, o special team precisou aparecer. Em uma jogada que parecia fadada aos três pontos, o punter e holder, John Ryan recebeu a bola, e começou a correr para a lateral do campo. Os Packers entenderam a jogada e foram atrás do lento punter, que viu o tackle Gary Gilliam, anunciado como elegível para receber o passe antes da jogada, livre na endzone. Um simples passe balão garantiu os sete pontos aos Seahawks, que orquestraram depois disso uma das maiores viradas da história da NFL.

Fake Spike de Aaron Rodgers

O Green Bay Packers estava quatro pontos atrás no placar, na linha de 20 jardas dos Dolphins, sem timeouts para pedir e com o relógio contando. O senso comum diria que Rodgers iria dar o tradicional spike, jogar a bola no chão propositalmente, para o relógio e perder um down. Porém estamos aqui falando de trick plays, então quando o snap foi feito, a defesa dos Dolphins nem se preparou pois acreditava que o spike seria feito.
Não. Rodgers pegou a bola e lançou para Davante Adams, que também não esperava a jogada, mas mesmo assim agarrou a bola, avançou e saiu para a lateral, parando o relógio. Depois disso, Rodgers lançou para Andrew Quarless virar o jogo.
No final, os Dolphins provaram do próprio veneno

Trick Punt dos Rams

Nós já falamos dessa jogada aqui na coluna, mas ela foi tão genial que precisa ser revista.

 

Comments
To Top