NFL

Prévia Kansas City Chiefs 2017: desconfiança nos playoffs, mas um time completo e cheio de esperança

Previa Kansas City Chiefs

Não me leve a mal. Mas além dos Vikings, eu torço muito para o time do Kansas City Chiefs. A franquia tem vários jogadores que jogam juntos há tempos e uma série de novas estrelas. A chefia é do competente Andy Reid. O QB é Alex Smith, que vai para sua 13ª temporada. Travis Kelce, Eric Berry, Justin Houston, Derrick Johnson e Allen Bailey jogariam em qualquer equipe e os “meninos” Dee Ford, Tyreek Hill e Marcus Peters prometem explodir de vez em 2017. Sem falar no preciso e constante Cairo Santos.

Mas, sempre tem o mas: o time não incomoda na pós-temporada. É triste dizer isso, mas desde que Reid chegou em 2013, os Chiefs sempre tiveram campanhas com mais vitórias do que derrotas e foram para os playoffs em três oportunidades. E em todas fracassaram. Será que esse ano vai?

Categoria: sonhando com o Super Bowl

Desempenho em 2016: 12-4

Previsão nada científica para 2017: 10-6

Linha de Las Vegas (você pode apostar em mais ou menos vitórias que o número a seguir): 9

Jogadores de Pro Bowl em 2017: Tyreek Hill, Eric Berry, Travis Kelce, Cairo Santos, Marcus Peters e Dee Ford.

Quem pode se juntar a essa lista: Spencer Ware, Alex Smith e Justin Houston.

Dificilmente os Chiefs farão uma campanha com mais derrotas do que vitórias. Só uma tragédia tira o time dos playoffs. Algo como Alex Smith ficar fora de algumas partidas, ou um dos jogadores chaves da defesa (Houston, Berry e Ford) se machucar, ou ainda se Cairo Santos desandar a errar chutes. Só coisas desse tipo tiram os Chiefs dos playoffs.

Andy Reid previa kansas city chiefs

(Crédito: Twitter/reprodução)

Mas playoff não basta. A franquia precisa dar o passo rumo ao Super Bowl. Reid, Smith e companhia meio que já carregam o rótulo do fracasso na hora do vamos ver (playoffs). O tempo está passando. Já faz 48 anos que os Chiefs não chegam ao SB.

E por que não sonhar? O ataque é bem ajustado e regular. Alex Smith, apesar da fama desgraçada, é um dos melhores QBs das últimas quatro temporadas. Neste período, Smith somou 41 vitórias e 20 derrotas. Só Brady (47) e Wilson (45) possuem mais vitórias. Sem falar que Smith vem de sua melhor temporada em jardas passadas: 3.502! Porém, foram apenas 15 TDs. Ou seja: o time avança, mas pouco marca. Sem falar nas oito interceptações. Smith precisa, ao mesmo tempo, ser mais agressivo e tomar conta da bola. Tarefa super fácil.

Jeremy Maclin e Jamaal Charles deixaram o ataque. O fenomenal Tyreek Hill promete melhorar em seu segundo ano e suprir a falta de Maclin. Spencer Ware deve passar das mil jardas corridas e aliviar o vazio deixado por Charles.  Travis Kelce pode chegar a mais de 10 TDs. O tight end soma muitas jardas, mais ainda marca poucos touchdowns; 14 TDs em três temporadas, Kelce pode mais. Chris Conley e Albert Wilson vão ganhar mais oportunidades e precisam corresponder. Olho no novato Kareem Hunt, escolha de terceira rodada e que pode se tornar o substituto de Ware, já que Charcandrick West ainda não convenceu Reid. Enfim, as opções são boas. Mas e a linha ofensiva?

Ela está intacta! A linha ofensiva é a mesma do ano passado: Eric Fisher, Zack Fulton, Mitch Morse, Laurent Duvernay-Tardif e Mitchel Schwartz. Notícia mais que maravilhosa e que deve dar o suporte necessário para o jogo de passes e as corridas de Ware.

Veja nosso esquenta, com prévias entrando todos os dias

Agora, se o time não for para os playoffs, cabeças irão rolar nos Chiefs. Andy Reid tremerá no cargo, Smith pode ser substituído por Patrick Mahomes II e alguns veteranos serão usados como moeda de troca. Alex Smith é o mais pressionado. O veterano terá a sombra e a responsabilidade de servir de exemplo para Mahomes, uma escolha de primeira rodada que vem cercada de grandes expectativas.

Prévia Kansas City Chiefs: defesa classe A

Eu boto uma fé enorme nos Chiefs porque a defesa me permite. Aquela velha história: Ataques ganham jogos, defesas ganham títulos. A frase é meio batida mas é válida. A defesa dos Chiefs é sarnenta, gruda, incomoda e arranca turnovers importantes. Em 2016, a defesa dos Chiefs cedeu apenas 19.4 pontos por partida! E ainda liderou a NFL com 33 turnovers gerados.

O feito impressiona se levarmos em conta que três ótimos jogadores (Justin Houston, Derrick Johnson e Allen Bailey) perderam alguns jogos por causa de lesão. Houston é alma e vibração. O veterano ainda é um tormento para os QBs adversários e promete incomodar muito. Johnson, outro veterano importante para o time, forma uma dupla muito interessante com Ramik Wilson, que é um dos que melhores dando tackles dentro do time. Tamba Hali já não aguenta mais jogar todos os snaps, mas ele reveza muito bem com a promessa Dee Ford, que já é o principal sackador da equipe.

(Crédito: Instagram/reprodução)

Bailey lidera o trio do front seven, que perdeu Dontari Poe. Bennie Logan chega como substituto, mas dificilmente suprirá a falta de Poe. Não que Logan seja ruim, mas Poe era dominante com sobras. Sendo assim, Bailey vai ter que jogar por dois. Chris Jones ainda está engatinhando na NFL e tem muito que aprender. Olho no novato Tanoh Kpassagnon, escolha de segunda rodada e que pode caçar uma vaga no trio de frente do front seven.

A secundária também é muito competente. Marcus Peters e Steven Nelson são dois corners que adoram um contato perto da linha, mas que sabem recompor contra o jogo de passes.  Peters adora uma cobertura individual e já soma 14 interceptações em três temporadas. Nelson é extremamente versátil e ótimo contra o jogo corrido.

Eric Berry talvez seja a principal estrela desta secundária. Berry, um dos melhores strong safeties da NFL, já venceu um câncer e tem uma capacidade enorme de fazer jogadas decisivas que modificam partidas. Ao seu lado, o free safety Ron Parker complementa e deixa poucos espaços para o ataque adversário.

Cairo Santástico

 

Após quatro temporadas com os Chiefs, Cairo Santos já é o kicker mais preciso da história da franquia com um aproveitamento de 84.3%. O punter Dustin Colquitt não tem um punt retornado para TD desde 2012. Santos e Colquitt formam uma das melhores duplas de chutadores de toda a NFL.

Nos retornos, Tyreek Hill é um dos mais dinâmicos e perigosos. Como novato, Hill retornou para três TDs, liderando a liga, além de uma média de 15.2 jardas por retorno. Resta saber se Reid irá continuar com Hill nos especialistas, ou se irá preservar a estrela para o ataque.

 

Prévia Kansas City Chiefs: tabela

(Crédito: reprodução)

Há um certo consenso dentro da NFL de que a AFC Oeste é uma das mais complicadas de se prever o vencedor. Raiders, Chiefs, Broncos e Chargers reúnem condições para tanto. Os Raiders aparecem como os grandes rivais, mas não duvide dos Broncos e dos Chargers. Diante dessa dificuldade dentro da própria divisão, um retrospecto de três vitórias em seis jogos é razoável. Qualquer coisa acima disso é de se aplaudir de pé. Mas qualquer coisa abaixo disso e o time pode se complicar até para um wild-card.

Sorte que os Chiefs pegam a AFC Leste. Tirando a estreia da temporada contra o atual campeão e favorito Patriots, os Chiefs pegam as molezas Dolphins, Jets e Bills. Pois bem, o time tem obrigação de vencer esses três jogos. Quem quer sonhar com o Super Bowl é obrigado a derrotar Dolphins, Jets e Bills.

Ainda dentro da Liga Americana, o Kansas City Chiefs tem dois jogos bem complicados e que cheiram a playoff. Steelers e Texans vão brigar pela pós-temporada, então não é nenhuma loucura imaginar duas vitórias ou até duas derrotas. Se vencer uma das duas, o time já pode complicar um rival direto e encaminhar a vaga de wild-card. Claro, duas derrotas afastam o time da briga e podem acabar como toda uma temporada.

Contra a Liga Nacional, os Chiefs pegam a confusa e sempre disputada NFC Leste. Para azar da equipe, Ezekiel Elliott já terá cumprido sua suspensão e os Cowboys irão com força máxima. Mas os outros três confrontos são bem favoráveis. Eagles, Redskins e Giants são times piores que os Chiefs, mas que adoram vencer quando ninguém acredita mais.

Comments
To Top