NFL

Le’Veon Bell pode ficar fora de 2018 ou se aposentar se receber tag de novo

Le'Veon Bell, running back do Pittsburgh Steelers

(Crédito: Twitter/reprodução)

O running back Le’Veon Bell colocou seu futuro na National Football League em questão.

Não, você não leu errado.

Aos 25 anos de idade e recém-selecionado para o time All-Pro pela primeira vez em sua carreira profissional, o astro do Pittsburgh Steelers afirmou em entrevista à ‘ESPN’ norte-americana que está pronto para ficar fora da temporada 2018, ou mesmo se aposentar, caso ele receba a franchise tag pelo segundo ano consecutivo.

“Eu espero que não chegue a isso, mas eu definitivamente consideraria isso”, falou o camisa 26, antes do treinamento desta quinta-feira (11).

Bell atuou sob uma franchise tag de US$ 12,1 milhões em 2017 e esse número é projetado para subir para US$ 14,5 milhões na próxima temporada caso ele seja ‘taggeado’ novamente.

As equipes da NFL podem aplicar a tag em um jogador entre os dias 20 de fevereiro e 6 de março. Após esse período, os times têm até o dia 16 de julho para fecharem um contrato de longo prazo com o atleta.

Em julho do ano passado, Bell recusou um contrato longo que a imprensa dos Estados Unidos apurou que tinha valor de US$ 30 milhões nos primeiros dois anos do acordo. O running back não sentiu que o time valorizou todo o seu conjunto de habilidades.

Bell foi questionado nesta quinta sobre o que ele acha que os Steelers devem fazer nesta próxima offseason e ele foi enfático.

“Me valorizar.”, frisou. “Basta trazer os números diretos, exatamente onde queremos. Eu não vou me contentar com qualquer coisa. Eu sei o que eu faço e o que trago para a mesa. Não vou sair aqui recebendo a bola 400 vezes se não receber o que sinto que é o meu valor”, observou.

Em 15 jogos na temporada regular de 2017, Bell correu 321 vezes para 1.291 jardas e nove touchdowns, além de ter feito 85 recepções para 655 jardas e dois TDs.

Em 62 jogos de temporadas regulares na carreira até agora, desde que foi selecionado na segunda rodada do draft de 2013 pelos Steelers, Le’Veon Bell correu 1.229 vezes para 5.336 jardas e 35 touchdowns, além de ter feito 312 recepções para 2.660 jardas e sete TDs.

As 7.996 jardas totais em sua carreira até agora são a maior quantidade por um jogador da NFL neste período desde a fusão da AFL com a NFL em 1970, superando Eric Dickerson (7.842 jardas), segundo o ESPN Stats & Information.

Bell afirmou que “provavelmente estaria acabado” com o futebol americano caso ele fique mesmo fora da temporada 2018.

“Eventualmente, vai depender de eu atuar sob a tag ou não. Eles aplicam a tag em mim novamente e será eu (dizendo): ‘ok, eu quero jogar sob a tag ou não quero?’. Isso resume. Se eu fosse um free agent e eles me deixassem ir embora, ser um free agent, então sim, eu vou explorar a free agency, testar o mercado”, pontuou.

Bell se disse confortável com seu legado no esporte e deixou claro que ele se importa mais em estabelecer um precedente para running backs do que propriamente faturar alguns milhões de dólares a mais.

“Eu ganhei muito dinheiro, estou feliz com o estágio em que estou, tenho uma boa família – eu não preciso realmente jogar futebol americano”, disse Bell, que já ganhou cerca de US$ 16 milhões em sua carreira até o momento. “Agora, estou meio que fazendo porque amo. Eu fiz tudo menos ganhar um Super Bowl (…). Eu não me preocupo, necessariamente, com o aspecto do dinheiro. Eu apenas quero ser valorizado onde estou. Se estou atuando neste esporte, quero definir padrões para todos os running backs ao meu lado, como Todd Gurley e Ezekiel Elliott, Melvin Gordon, caras como esses. Eu sou meio que um cara para o qual eles podem olhar. Sinto que posso fazer. Estou em uma posição na qual posso fazer isso, e vou fazer isso”, prosseguiu.

Questionado sobre poder ter toda uma carreira produtiva pela frente, Bell citou Barry Sanders, um de seus jogadores favoritos quando ele era pequeno, como alguém que se aposentou ainda jovem.

Sanders atuou por 10 anos na NFL, enquanto que Bell soma cinco anos na liga.

Mas os anos são irrelevantes para o running back dos Steelers, segundo ele próprio.

“Trata-se de deixar um legado. Pessoas sempre se lembrarão do que você fez. É por isso que corro do jeito que corro. Sinto que queria correr de forma diferente do que todos os outros. E eu quero fazer coisas que ninguém fez. Foi isso que eu imaginei para meu futuro”, completou Bell, citando seu estilo paciente de corrida, esperando os espaços aparecerem.

Posteriormente nesta quinta, o running back utilizou seu Twitter oficial para esclarecer que ainda não está pensando na próxima temporada.

“Estou tentando ganhar um Super Bowl… Não posso me importar menos com o que vai acontecer após esta temporada… a maior coisa é que estou focado neste time em que estou agora, jogando para/com meus irmãos, e em trazer um 7º anel! O que vai acontecer no próximo ano é irrelevante para meus objetivos”, escreveu na rede social.

Comments
To Top