NFL

Johnny Manziel revela bipolaridade e garante que está trabalhando para voltar ao futebol americano

Johnny Manziel

(Crédito: Twitter/reprodução)

Em uma entrevista exclusiva ao programa Good Morning America, da ‘ABC News’, Johnny Manziel revelou que foi diagnosticado com transtorno bipolar e que ele está tomando medicamento.

Na conversa, que foi ar nesta segunda-feira (12) nos Estados Unidos, o quarterback deixou claro que tem o objetivo claro que retornar aos campos de futebol americano e falou sobre seus problemas relacionados ao uso de álcool, depressão e tudo mais.

“Eu estou assistindo todos os outros caras fazendo o que eu quero fazer e eu estou sentado no sofá sendo um perdedor”, declarou o ex-signal caller do Cleveland Browns.

Manziel frisou que foi diagnosticado com transtorno bipolar “há cerca de um ano” e adicionou que ele parou de consumir álcool, observando que ele usava bebidas alcoólicas como uma maneira de “se automedicar” enquanto batalhava contra a depressão.

“No final das contas, não posso fazer nada que meus fios são cruzados de maneira um pouco diferente do que os seus, não posso fazer nada sobre minha composição mental da maneira que fui criado. Mas eu sei que se continuar com esses medicamentos e continuar a fazer o que estou fazendo agora (…) acho que meu pai, minha mãe, acho que (a namorada Bre Tiesi), todos concordariam que estão vendo uma mudança drástica”, observou.

Manziel venceu o Troféu Heisman na Universidade de Texas A&M, em 2012, se tornando o primeiro calouro a vencer o prêmio de melhor jogador do futebol americano universitário.

Posteriormente, ele foi selecionado pelos Browns na primeira rodada do draft de 2014, mas após duas temporadas bem apagadas na NFL, ele foi dispensado pelo time de Cleveland e não conseguiu uma nova vaga na liga.

O quarterback reconheceu que não há ninguém a se culpar além de si mesmo depois que suas bebedeiras foram registradas nas redes sociais e de ele ter se envolvido em problemas com a Justiça, incluindo uma acusação de violência doméstica.

“Você fica olhando para o teto sozinho e naquela depressão e de volta àquele buraco escuro de ficar sentando em uma sala sozinho, super deprimido, pensando em todos os erros que cometeu na vida. O que isso me trouxe? O que isso me causou além de me tirar da NFL? Onde isso me levou? Desgraçado”, afirmou.

Johnny Manziel observou que está treinando e tentando convencer algum time da NFL a lhe dar uma segunda chance na liga.

“Eu estou voltando de uma enorme queda. Eu não sei que tipo de retorno será, mas eu sei que quero voltar a um campo de futebol americano para o que trouxe tanta alegria à minha vida e que me faz feliz como meu trabalho”, pontuou Manziel.

Em seu Twitter oficial, Manziel se pronunciou após a entrevista ir ao ar.

“No final das contas, atletas também são seres humanos. Você pode ficar preso na fama, na vida, mas no final das contas, somos exatamente os mesmos… LONGE DE SERMOS PERFEITOS. Deus abençoe a todos e obrigado por ouvirem a minha história”, escreveu na rede social.

– Johnny Manziel afasta comparações com Baker Mayfield

No podcast Pardon My Take, do ‘Barstool Sports’, Manziel comentou sobre Baker Mayfield e sobre o fato de ele e o jovem QB serem do Texas e terem uma “amizade muito legal”, mas o ex-QB do Cleveland Browns ressaltou que as comparações devem parar por aí.

“Nós somos pessoas completamente diferentes. Nós temos um background similar. Ambos somos do Texas. Nós dois jogamos futebol americano no colegial no Texas, mas ele não é eu, e eu não sou ele”, falou Manziel, segundo o site ‘Ohio.com’, que transcreveu os comentários do quarterback.

No mês passado, durante o Senior Bowl, Mayfield reconheceu que as pessoas tentam retratá-lo “como um bad boy, coisa de Johnny Manziel”, mas o prospecto deu seu parecer aos jornalistas.

“Eu amo o futebol americano, não há dúvidas em relação a isso. Sou um jogador emocional. Vou fazer o que for preciso para vencer. Adoro estar ao lado dos meus companheiros de equipe, liderando e tendo responsabilidades. É o que é. Se eu prestasse muita atenção nisso, eu me concentraria nas coisas erradas”, declarou.

Mayfield, que deve ser um dos quatro primeiros quarterbacks a serem selecionados no draft de 2018 da NFL, tem um histórico de problemas extracampo. Ele chegou a um acordo após uma prisão sob acusações de intoxicação pública em fevereiro de 2017 e já foi criticado também por algumas de suas ações em campo.

“Baker é ardente como o inferno. Ele fica um pouco empolgado na lateral do campo. Uma vez que você está no campo de futebol americano e faz algumas coisas que são um pouco estranhas, como caras fazem isso o tempo todo. Talvez foi um pouco demais? Claro. Mas, no final das contas, o cara cometeu um erro, pagou suas dívidas e acho que ele será melhor por causa disso e vai aprender com isso”, frisou Manziel.

Manziel disse que tem “toda a fé do mundo” em Mayfield.

“Eu acho que ele vai ser um jogador muito bom e, qualquer coisa, as pessoas podem compará-lo comigo, mas ele pode aprender com o que eu fiz de errado. Ele pode tentar e tomar algo que fiz e usar de maneira positiva para ele”, finalizou.

Comments
To Top