Cachorrada

Ex-quarterback da NFL, Warren Moon é acusado de assédio sexual

Warren Moon, ex-quarterback da NFL e membro do Hall da Fama

(Crédito: Youtube/reprodução)

O ex-quarterback Warren Moon, membro do Hall da Fama do Futebol Americano Profissional, foi acusado de assédio sexual e agressão sexual em uma ação movida por uma funcionária de sua empresa de marketing esportivo. Após as acusações, o ex-atleta será afastado temporariamente de seu emprego nas transmissões de rádio do Seattle Seahawks.

Em um texto enviado à ‘KING 5 TV’, de Seattle, Moon negou as acusações. Vale lembrar que a emissora também emprega Moon como parte da cobertura dos Seahawks.

A franquia do estado de Washington divulgou um comunicado na noite desta quarta-feira (6) frisando que aceitou o pedido de Moon para receber uma licença, mas a nota não divulga um motivo específico para a solicitação.

A ação foi movida na última segunda-feira no Superio Tribunal do Condado de Orange, na Califórnia. No processo, Wendy Haskell afirmou que Moon fez avanços sexuais “indesejados e não solicitados” em sua direção enquanto ela estava trabalhando como assistente de Moon na Sports 1 Marketing.

A ação judicial cita Moon como presidente e coproprietário da empresa com sede em Irvine, na Califórnia.

Em entrevista ao jornal ‘The Washington Post’, Haskell disse por meio de sua advogada que ela deseja que seu nome seja revelado publicamente.

Segundo o processo, pouco depois que Haskell foi contratada pela empresa, em julho de 2017, Moon exigiu que ela “se submetesse a uma variedade de enervantes arranjos de controle sexual e perverso, incluindo dormir na mesma cama que ele em todas as viagens de negócio, proporcionando a ele acesso irrestrito ao banheiro toda vez que ela tomava banho, vestindo lingerie pequena enquanto estava em sua sala individual obrigatória, obtendo aprovação prévia de seu guarda-roupa, e sendo submetida a contínuos avanços sexuais indesejados e não solicitados”.

Ainda como consta no processo, Moon batizou a bebida de Haskell sem o consentimento da moça durante uma viagem de negócios ao Cabo San Lucas, no México. Haskell disse que começou a se sentir estranha e perguntou ao chefe se ele tinha colocado algo em sua bebida. Moon então admitiu ter feito isso, segundo ela, dizendo ter feito isso porque achou que ela não “estava se divertindo”.

Na mesma viagem, de acordo com o processo, Moon puxou o maiô de Haskell enquanto eles estavam na praia, mesmo em meio aos pedidos de que ele parasse.

A mulher ainda afirma que, em outra viagem de negócio a Seattle, Moon colocou a mão nas partes íntimas dela enquanto ela estava dormindo.

Após resistir a outra investida sexual do ex-quarterback, Haskell disse que Moon escreveu um e-mail para ela no dia seguinte dizendo que, se ela não estava à vontade com suas exigências, ele “encontraria alguém que não tenha inibições em relação ao trabalho”.

Ainda segundo o processo, os incidentes em Cabo San Lucas ocorreram depois que Haskell reclamou ao CEO da empresa sobre o comportamento de Moon. A mulher afirma que a empresa não fez nada para resolver o caso e ainda acusa a empresa de rebaixá-la de cargo, o que incluiu redução salarial.

Essa não é a primeira vez que Moon é acusado por um crime de cunho sexual.

Em maio de 1995, quando ele era quarterback do Minnesota Vikings, Moon foi processado por uma cheerleader dos Vikings que o acusou de oferecer dinheiro em troca de sexo. O caso foi resolvido fora dos tribunais.

Dois meses mais tarde, Moon foi preso em Houston, no Texas, depois que sua esposa Felicia disse à polícia que ele deu uma pancada em sua cabeça e a estrangulou antes de ela fugir da casa do casal. O caso foi a julgamento, e Moon foi absolvido quando sua esposa admitiu ter iniciado com os atos violentos. Os dois acabaram se divorciando mais tarde.

Atualmente com 61 anos de idade, Warren Moon foi a nove Pro Bowl durante sua carreira profissional de 17 anos na National Football League. Ele teve passagens pelo Houston Oilers, Minnesota Vikings, Seattle Seahawks e Kansas City Chiefs.

O quarterback entrou no Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF) em 2006.

Comments
To Top