NBA

Scalabrinão de Ouro 2017/18: os melhores a cada dia da NBA

Scalabrinão de Ouro Brian Scalabrine

Arte: Felippe Rodrigues

Começamos neste sábado a terceira edição do Scalabrinão de Ouro, o MVP do Quinto Quarto. Stephen Curry e Russell Westbrook podem ser orgulhar de serem os dois primeiros vencedores desse troféu de peso, ao invés de serem mais dois a vencerem o MVP da NBA. E nesta temporada 2017/18, eles vão tentar o bi contra uma concorrência pesada em uma liga cheia de talento.

A forma de disputa é simples: todo jogo, um colégio de jurados, inclusive o lendário Brian Scalabrine, ala-pivô por diversos times que tiveram sorte em tê-lo por 10 temporadas e vencedor de um título, porque ele não quis mais, votará em quem foi o melhor jogador da noite. Scalabrine envia seu voto por pombo-correio e dependendo do vento, ele demora mais para chegar de Boston para São Paulo.

Quem tiver mais troféus Brian Scalabrine vence o Scalabrinão de Ouro. Nada difícil, não é mesmo? Então vamos lá.

Atualização 15/01: para o post não ficar um inferno de carregar, separamos este post como arquivo. Caso você queira saber os concorrentes ao Scalabrinão de Ouro sem ter que clicar e ir para outra página, aqui está.

Russell Westbrook (8), LeBron James (6), James Harden (6), Stephen Curry (5), Anthony Davis (5), Giannis Antetokounmpo (5),  DeMarcus Cousins (5), Kyrie Irving (3), Joel Embiid (3), Klay Thompson (3), Bradley Beal (3), DeMar DeRozan (3), C.J. McCollum (3), Karl-Anthony Towns (3), Jimmy Butler (2), Devin Booker (2), Lou Williams (2), Paul George (2), Victor Oladipo (2), Kristaps Porzingis (2), Aaron Gordon (2), Jordan Clarkson (2), Kevin Durant (2), Chris Paul (2), Kris Dunn, Tobias Harris, Kelly Olynyk, Blake Griffin, Donovan Mitchell, Kevin Love, Andre Drummond, Kentavious Caldwell-Pope, LaMarcus Aldridge, Damian Lillard, T.J. Warren, Tim Hardaway Jr., Lonzo Ball, Andrew Wiggins, Brandon Ingram, Kyle Kuzma

23/01 – Kyle Kuzma

Alguns jogadores fizeram mais pontos que Kyle Kuzma nesta terça-feira. Kyrie Irving no jogo dos Celtics contra os próprios Lakers fez 33. Russell Westbrook teve 33 pontos na vitória do Thunder (27-20) contra os Nets (18-30). LaMarcus Aldridge teve 30 pontos e 9 rebotes na vitória dos Spurs (31-18) contra os Cavaliers (27-19). E Stephen Curry teve 32 pontos na vitória dos Warriors (38-10) contra os Knicks (21-27).

Maz Kuzma, com seus 28 pontos foi mais impressionante. Primeiro porque os Lakers têm um time inferior aos Celtics e venceram. E segundo porque 17 dos pontos do calouro veio no último quarto de um jogo que é a maior rivalidade da NBA. O calouro dominou, com cinco bolas de três e lances incríveis, em um deles até deixando Al Horford perdido. E assim ele leva o primeiro Troféu Brian Scalabrine de sua carreira.

22/01 – DeMarcus Cousins (5)

Andrew Wiggins foi sensacional na vitória dos Timberwolves contra o Los Angeles Clippers, com 40 pontos. Jamal Murray teve 38 pontos na vitória dos Nuggets contra os Blazers. Mas não tem como não dar este troféu para DeMarcus Cousins.

O pivô e seu time – os Pelicans (25-21) – precisaram de duas prorrogações para bater o Chicago Bulls (18-29) mas foi até bom porque deu para Cousins completar um triplo-duplo incrível de 44 pontos, 24 rebotes e ainda 10 assistências. DeMarcus Cousins foi o primeiro jogador a ter pelo menos 40 pontos, 20 rebotes e 10 assistências desde um tal de Kareem Abdul-Jabbar em 1972. É mole?

21/01 – Jordan Clarkson (2)

Kyrie Irving fez 40 pontos na noite de domingo, mas o Boston Celtics fez o favor de perder a partida, deixar seu camisa 11 sem o troféu e dificultando meu trabalho. Depois de muita análise e conversas com Brian Scalabrine por Telegram, o escolhido foi Jordan Clarkson, que ganhou seu segundo troféu em três dias.

A razão é simples: com 29 pontos, 10 assistências e ainda seis rebotes, ele foi a principal razão para os Lakers (17-29) vencerem os Knicks (21-26). Foram 12 arremessos certos em 19 tentados e eles vieram de todo jeito: de longa distância, enterrada, floater, recuperando rebote ofensivo de seu próprio arremesso e fazendo a bandeja. Pelo menos na bagunça dos Lakers, Clarkson está se destacando.

20/01 – Chris Paul (2)

Chris Paul tinha apenas um troféu Brian Scalabrine, mas neste sábado ele mereceu seu segundo. O Golden State Warriors chegou a Houston com 14 vitórias seguidas fora de casa, mas com os 33 pontos do armador, inclusive cinco em uma série decisiva, fizeram os Rockets jogar água no chopp dos californianos. Só na bola de três foram seis certas.

Paul teve ainda 11 rebotes e sete assistências, liderando o time já que James Harden está apenas em seu segundo jogo de volta após lesão. Já nos minutos finais da partida, com os Warriors liderando por quatro pontos, Paul liderou uma sequência de 9 pontos de seu time contra dois dos rivais, fazendo cinco deles e dando a liderança aos texanos, que não a perderam mais. Se há um time que pode derrotar os Warriors, esse time é os Rockets.

 

19/01 – Jordan Clarkson

Não foi um grande dia de NBA na sexta, especialmente para os jogadores mais de nome. Mas quem disse que isso importa para Jordan Clarkson? O ala-armador dos Lakers (16-29) saiu do banco e fez 33 pontos, pegou 7 rebotes e deu sete assistências na vitória de seu time contra o Indiana Pacers (24-22).

E o time precisou de cada um dos 14 arremessos certos de Clarkson em 19 tentados, já que estavam sem três titulares – Lonzo Ball, Brandon Ingram e Kentavious Caldwell-Pope – e os que jogaram foram completamente ridículos na linha do lance livre: o time acertou 2 de 14 tentados, a pior marca da história da franquia. Adivinha quem acertou esses dois? Nosso vencedor do Troféu Brian Scalabrine.

18/01 – Joel Embiid (3)

Dessa vez o Philadelphia 76ers não deixou o Boston Celtics se recuperar e virar o placar no segundo tempo. Joel Embiid com 26 pontos e 16 rebotes foi o destaque do jogo e também o vencedor do Troféu Brian Scalabrine por sua performance no TD Garden, sendo marcado por Al Horford.

Com 10 pontos no terceiro quarto e dominando na defesa, Embiid foi a âncora de seu time nos dois lados da quadra. Ele ainda igualou sua melhor marca em rebotes e foi quase perfeito na linha de lance livre, com seis de sete certeiros. Tudo isso na noite em que foi chamado para seu primeiro All-Star Game. Que noite!

17/01 – Klay Thompson (3)

Klay Thompson ouviu o podcast do Quinto Quarto e ficou p%$ da vida em ter sido esquecido por Felippe Rodrigues nas escolhas para o All-Star Game. O ala-armador do Golden State Warriors (37-9) acertou sete bolas de três e terminou com 38 pontos na vitória de seu time contra o Chicago Bulls (17-28), que fez frente e saiu de cabeça erguida.

Depois de um terceiro quarto matador, que teve uma sequência de 19 a 0, os californianos dormiram no ponto e os Bulls ficaram a cinco pontos de distância. Mas com Klay tão inspirado assim e Curry também ativo atrás do arco (6 bolas de três, 30 pontos no jogo), os Warriors deram um jeito: o camisa 11 teve uma bandeja e ainda acertou dois lances livres no fim do jogo para dar a 14ª vitoria seguida fora de casa para seu time, recorde da história da franquia. O recorde da NBA é de 16, do Los Angeles Lakers de 1971/72.

16/01 – Anthony Davis (5)

Davis ganhou este troféu no domingo com seus 48 pontos feito no Madison Square Garden. Pois bem, o camisa 23 não estava satisfeito e no TD Garden fez 45 pontos e pegou 16 rebotes na vitória na prorrogação dos Pelicans (23-20) contra o Boston Celtics (34-11).

E mais uma vez ele mostrou todo seu arsenal: presença para ponte aérea, imposição física no garrafão, jumpers e ainda um toco lindo em Aron Baynes. No último quarto Davis não foi nada bem, mas ele se recuperou na prorrogação, quando junto com DeMarcus Cousins e Jrue Holiday colocaram a bola embaixo do braço e fizeram todos os pontos do time.

15/01 – Kevin Durant (2)

Joel Embiid teve bela partida, com 34 pontos e 11 rebotes na vitória do Philadelphia 76ers (20-20) contra o Toronto Raptors (29-13). Giannis Anteokounmpo teve 27 pontos e absurdos 20 rebotes contra os Wizards. Mas por causa do palco, não tem como não dar este troféu para Kevin Durant. O jogador do Golden State Warriors teve 32 pontos e 8 assistências na vitória contra o Cleveland Cavaliers, no Ohio, na reedição das últimas três finais.

Durant teve 16 pontos só no terceiro quarto e ajudou no esforço defensivo do último quarto, fazendo os Cavaliers erraram 17 dos 19 arremessos iniciais nesse período. Os Warriors assim venceram seu 13º jogo seguido fora de casa enquanto os Cavs perderam oito dos últimos 10 jogos. Com Durant jogando desse jeito e Curry voltando a ser aquele dos anos de MVP, vai ficar difícil segurar os californianos.

Veja o duelo entre Kevin Durant e LeBron James nesta segunda-feira.

14/01 –  Anthony Davis (4)

Como dito abaixo, Anthony Davis pode empolgar muita gente e empurrar os Pelicans (22-20) enquanto estiver saudável. No Madison Square Garden, Davis deu show com 48 pontos e 17 rebotes na vitória de seu time contra os Knicks (19-24).

E a equipe de Nova Orleans chegou a ficar 19 pontos atrás no terceiro quarto, mas com Davis tudo é possível e ele ama o Garden, marcando pelo menos 35 pontos nas suas últimas três visitas ao lendário ginásio. No vídeo abaixo você pode ver ele roubando bolas (4 no jogo), dando tocos (3), completando a ponte aérea, arremessando de três, enviando o jogo para a prorrogação e ainda infernizando a vida de Kristaps Porzingis. Demais.

13/01 – Klay Thompson (2)

DeMar DeRozan teve 42 pontos, mas ele ficou do lado derrotado, enquanto Klay Thompson e Stephen Cirry combinaram para 50 pontos na vitória dos Warriors no Canadá. Aqui o melhor para Klay que teve um desempenho sensacional nos arremessos, acertando 11 de 16 enquanto Curry foi um pouco pior e ainda errou dois lances livres no final do jogo, algo fora do padrão.

12/01 – Anthony Davis (3)

Anthony Davis estava voltando de uma lesão no tornozelo e mostrou que seu basquete simplesmente resiste a qualquer contusão, por mais numerosas que elas sejam. Contra o Portland Trail Blazers ele teve 36 pontos e ainda pegou nove rebotes, cinco deles ofensivos na vitória dos Pelicans por 119 a 113.  Com três troféus Brian Scalabrine e inspirando DeMarcus Cousins a jogar melhor – 24 pontos e 19 rebotes- Davis pode empurrar os Pelicans a um desempenho melhor que o 21-20 atual.

11/01 – Brandon Ingram

Lou Williams teve mais um jogo bom, com 30 pontos. Mas ele foi contra os Kings. Então sinto que devo valorizar Brandon Ingram, que com 26 pontos fez os Lakers vencerem o San Antonio Spurs. O jovem jogador aproveitou os minutos a mais que Luke Walton está concedendo e foi a principal razão para o time californiano abrir vantagem sobre seu grande rival texano.

Lonzo Ball também deve ser destacado com 18 pontos, 10 rebotes e 6 assistências. Mas dessa vez Ingram leva.

10/01 – Lou Williams (2)

A quarta-feira foi cheia de jogos e cheia de atuações sensacionais das estrelas da NBA. Kevin Durant teve 40 pontos, Russell Westbrook 38 pontos e 10 rebotes, Kemba Walker 41 pontos e John Wall 35 pontos e 11 assistências. Mas Warriors, Thunder, Hornets e Wizards perderam seus jogos.

Chris Paul teve 37 pontos e 11 assistências na vitória dos Rockets (29-11) contra os Blazers (22-19) e seria o vencedor deste troféu na maioria dos dias. Mas na quarta, Lou Williams fez 50 pontos e não só isso, já que os rivais dos Clippers eram os Warriors, verdadeiros algozes do time de Los Angeles nos últimos anos.  Sua maior marca na carreira foi vital para encerrar uma série de 12 derrotas seguidas para os atuais campeões, com oito bolas de três e 27 pontos só o terceiro quarto. Troféu para ele.

09/01 – C.J. McCollum (3)

C.J. McCollum gostou de aparecer aqui no Troféu Brian Scalabrine e dois dias depois de levar um por causa do jogo contra os Spurs, ele brilhou na vitória dos Blazers (22-18) contra o Thunder (22-19) em OKC, com 27 pontos e sete assistências. Até roubar a bola de Russell Westbrook, líder da corrida pelo Scalabrinão de Ouro até o momento, e enterrar depois ele fez.

Damian Lillard mais uma vez não jogou e sobrou para McCollum liderar o backcourt. E ele fez isso com maestria, mesmo não conseguindo uma boa noite nos arremessos de três. Excluindo os tiros de longa distância ele acertou 10 de seus 14 arremessos, puxando o aproveitamento de sua equipe de 53,1%, quase 10 pontos percentuais a mais que o do Thunder.

08/01 – Anthony Davis (2)

Davis só tinha um Troféu até esta segunda. Sofrendo com lesões, ele ainda não tirou tudo que sabe da cartola, mas mostrou um pouco contra o Detroit Pistons (21-18) com 30 pontos e 10 rebotes na vitória dos Pelicans (20-19). Vários jogadores poderiam ter levado aqui: DeMar DeRozan teve 35 pontos, mas com prorrogação e jogando pelos Raptors contra os Nets. LaMarcus Aldridge teve 31 pontos e 12 rebotes, mas pelos Spurs contra os Kings.

Davis enfrentou um time no mesmo nível que o seu e dominou. E o mais impressionante: em apenas 27 minutos. E por que isso? Porque ele machucou seu tornozelo e no terceiro quarto e não retornou mais. Ou seja, foi o jogo perfeito na experiência Anthony Davis: dominante, incrível e no fim lesionado. Mas mesmo assim ele merece este troféu.

07/01 – C.J. McCollum (2)

Alguns jogadores tiveram números mais impressionantes que C.J. McCollum. Mas o ala-armador do Portland Trail Blazers (21-18) fez o mais importante contra um dos times mais importantes, o San Antonio Spurs (27-14).Com 5,4 segundos faltando, McCollum acertou o floater que virou o jogo para seu time e deu a vitória aos Blazers.

McCollum terminou o jogo com 25 pontos e eles vieram quando sua equipe precisava: além do arremesso da vitória, ele teve uma bandeja com um minuto e 11 segundos que deu a vantagem a sua equipe por um, antes de errar um jumper e ver os texanos passarem à frente. Mas assim como Brian Scalabrine fez em vários momentos de sua carreira, ele não ficou nervoso e pegou a bola para decidir mais uma vez. E foi bem-sucedido.

06/01 – Stephen Curry (5)

Stephen Curry está determinado em busca de seu segundo Scalabrinão de Ouro. Giannis Antetokounmpo teve uma partida sensacional contra os Wizards, com 34 pontos, 12 rebotes e 7 assistências. Só que não tem como  não dar este troféu para o camisa 30 dos Warriors, que em 30 minutos de quadra teve 45 pontos, com mais uma chuva de três.

Mais uma vez os Clippers sentiram toda a fúria dos Warriors, com o placar mostrando 27 pontos de vantagem para os atuais campeões no fim do terceiro quarto, assim Curry nem jogou no último quarto. Também pudera: em cinco minutos de jogo ele fez 11 pontos. Antes mesmo de ir para o banco pela primeira vez ele já tinha 17. E basicamente garantiu o troféu logo de cara.

05/01 – Kris Dunn

Karl-Anthony Towns teve 25 pontos e 23 rebotes contra os Celtics (32-10), mas os Timberwolves (24-16) não conseguiram vencer. E assim não tem como dar este troféu.  A homenagem então ficou entre dois jogadores de backcourt e Kris Dunn levou a melhor pelo seu aproveitamento incrível, recorde na carreira profissional em pontos e ainda seu papel de garçom na noite de sexta.

O segundo anista do Chicago Bulls teve 32 pontos, com 12 arremessos certos em 17 tentados, sendo 4/5 nas bolas de três e ainda deu nove assistências na vitória contra o Dallas Mavericks. Bradley Beal teve 34 pontos, mas acertou “apenas” metade de seus arremessos e teve 5 assistências. Além disso, temos que valorizar a volta por cima de Dunn, escolha alta no Draft de 2016, não foi bem seu primeiro ano pelos T-Wolves e trocado para Chicago (na negociação de Jimmy Butler), está tendo espaço para evoluir.

04/01 – Stephen Curry (4)

Russell Westbrook conseguiu mais um triplo-duplo – 29 pontos, 12 rebotes e 11 assistências – mas a qualidade do rival tem que ser considerada na entrega deste troféu. Stephen Curry também teve 29 pontos, mas 5 assistências e 9 rebotes contra o Houston Rockets, segundo na Conferência Oeste e sem Kevin Durant ao seu lado.

Curry pode aproveitar assim para ter mais um duelo pessoal contra Chris Paul, algo que ele vem ganhando consistentemente nos últimos anos. Sem James Harden, Paul foi bem com 28 pontos, mas não conseguiu segurar o camisa 30 no quarto final: pegado, os Warriors conseguiram se distanciar nos minutos finais, com Curry matando uma bola de três, infiltrando para uma bandeja e acertando um lance livre para decidir o jogo.

03/01 – Stephen Curry (3)

Curry está correndo atrás do Scalabrinão de Ouro, depois de sentir o gosto de ser o primeiro a conquistar essa honraria.  Nesta quarta-feira contra o Dallas Mavericks (13-36), ele teve 32 pontos e 8 assistências e ainda decidiu a partida. Adivinhe como.

Com o jogo empatado em 122 e poucos segundos para jogar, ele levou a bola para o ataque e com toda a calma do mundo gastou o relógio, aproveitou o bloqueio e arremessou uma bola de três perfeita para vencer o jogo, deixando apenas a possibilidade de um tiro desesperado do outro lado, que não foi para dentro. Esse é o Stephen Curry que gostamos de ver.

02/01 – Lou Williams

A noite não foi espetacular para LeBron James e Kawhi Leonard, que fizeram 24 e 25 pontos respectivamente. Então o troféu teve que ir para um jogador mais alternativo: Lou Williams, do Los Angeles Clippers. O ala-armador mais uma vez saiu do banco para incendiar o ataque de seu time.

Foram 33 pontos, acertando mais de metade de seus arremessos e mostrando muita agressividade: ele foi para a linha do lance livre 15 vezes e acertou todos. Com 21,6 pontos por jogo, ele é o reserva que mais pontua na liga e já tem 8 jogos com 30 ou mais pontos vindo do banco, segunda maior marca da história da liga. Brian Scalabrine sabe como é ser um reserva importante e ele chancela a escolha de terça-feira.

01/01 – DeMar DeRozan (3)

No primeiro dia do ano não tinha como não ser DeMar DeRozan mesmo. Normalmente eu fico com o pé atrás com jogos que vão à prorrogação porque os números podem ficar um pouco inflados, mas DeRozan foi com sobras o melhor da noite com seus 52 pontos, 5 rebotes e 8 assistências na vitória dos Raptors (25-10) contra os Bucks (19-16).

E não foi só com tiros de média distância não; ele acertou cinco bolas de três  e se tornou o jogador com maior pontuação em um jogo na história dos Raptors, passando seu ex-companheiro Terrence Ross e um tal de Vince Carter, ambos com 51 em suas partidas.

Comments
To Top