MLB

Heitor Tokar e Victor Coutinho assinam contrato com os Astros

Victor Coutinho e Heitor Tokar

Victor Coutinho e Heitor Tokar (Crédito: Facebook/Divulgação)

O Houston Astros entrou com força no mercado internacional e irá assinar contrato com dois jogadores brasileiros. São eles o arremessador Heitor Tokar e o infielder Victor Coutinho. Os atletas, ambos de 16 anos de idade, jogavam pela equipe de Marília (SP) aqui no Brasil e já defenderam as seleções de base e fizeram parte do projeto Academia MLB. Além disso, Tokar foi eleito o 50º melhor prospecto internacional na lista da ‘Baseball America’.

O contrato será assinado ainda neste domingo (2) em almoço em um restaurante em São Paulo com presença de Oz Ocampo, diretor internacional do Houston Astros. O principal responsável pela contratação foi Thiago Ramos, olheiro da equipe no Brasil, que recebeu o aval dos diretores do time texano para negociar e garantir a contratação.

No total serão gastos cerca de 10% dos US$ 4,75 milhões (R$ 15,86 milhões) que a franquia de Houston tem para gastar nesta janela internacional. A pedido das famílias, os valores que cada jogador receberá não será divulgado.

Vale destacar que após a assinatura, a liga ainda precisa confirmar a negociação, já que é necessário confirmar se a idade dos jogadores está correta e a MLB também precisa checar outros detalhes antes de ratificar o negócio.

Heitor Tokar é um arremessador de três ou quatro arremessos, tendo como principais armas a bola rápida (fastball), slider e change up. Em seu arremesso de quatro costuras ele atinge 92 mph (147,2 km/h), o que é uma boa velocidade para a idade, principalmente porque, projetando, ele ainda deverá aumentar este número.

Além disso, o jovem pitcher tem boa envergadura por ser alto, é consistente nos seus arremessos e se mostra um jogador com boa mentalidade e agressividade quando aborda os duelos contra os rebatedores, apesar de ser calmo fora de campo. Com isso, Heitor consegue sair de situações mais delicadas atacando a zona de strike e usando sua inteligência.

Como lado negativo, ele ainda não tem o físico necessário para se tornar um grande arremessador, mas isso deverá ser resolvido a partir do momento em que ele passar a treinar na academia dos Astros e jogar beisebol todos os dias com toda uma infraestrutura e profissionais qualificados por trás. Soma-se a isso que ele ainda não enfrentou uma grande pressão na carreira, o que ele irá ter pela frente nas ligas menores, onde os rebatedores fazem ajustes de um at bat para o outro, algo que não acontece no Brasil. Contudo, ele mostra as ferramentas para ultrapassar essas dificuldades.

Já Victor Coutinho é uma terceira base alto (aproximadamente 1,87 m), com características para jogar nos cantos do infield e sem tanta projeção para jogar no meio do infield. Também, por seu biotipo, é descartado que ele jogue no outfield. Sua defesa é sólida e o braço forte. Como pontos negativos, ele ainda precisa melhorar o seu jogo mental e ainda tem um processo de maturação pela frente, entretanto, quando está no jogo, ele fica focado e não pensa em outra coisa que não o jogo.

Em termos ofensivos, Victor é um atleta considerado um rebatedor nato, compacto e de contato, apesar de demonstrar potência ocasionalmente e rebater alguns grandes home runs. Ele também sabe buscar bem a bola, mas tem um swing feio e perde o equilíbrio algumas vezes quando rebate, algo que deverá ser trabalhado quando ele começar a treinar nas instalações dos Astros.

Comments
To Top