NFL

Aprendendo o futebol americano – Os Melhores da História – Defesa

Hoje o QUINTO QUARTO acaba seu guia básico sobre futebol americano contando um pouco sobre grandes nomes da defesa que já pisaram nos campos da NFL. Se existe um ditado verdadeiro na NFL, é aquele que diz “ataques ganham jogos, defesas ganham campeonatos”. Então vamos a eles:

– Linebacker

Dick Butkus (Crédito: Reprodução/ Site oficial do Hall da Fama da NFL)

Dick Butkus (Crédito: Reprodução/ Site oficial do Hall da Fama da NFL)

DICK BUTKUS

Segundo votação feita em 2009 pelo site da NFL, Butkus foi o jogador mais temido de todos os tempos da liga. Não era para menos: com seus 1,91 metros era um dos mais atléticos jogadores de sua época, e líder da defesa dos Bears durante sua curta carreira de 9 anos na liga, encurtada devido a sérios problemas no joelho.

Foi selecionado para o time all-pro da liga por 6 dos seus 9 anos da liga, e era conhecido por conseguir tirar a bola da mão dos adversário. Seria um dos lideres da história da liga em fumbles forçados, caso em sua época a NFL contasse essa categoria.

LAWRENCE TAYLOR

O melhor linabacker que já pisou em um campo de futebol americano. LT mudou a forma como coordenadores ofensivos olhavam a posição de outside linebacker. Segunda escolha geral do draft de 1981 pelos Giants, levou o time aos playoffs nas dez primeiras temporadas em que Taylor esteve lá.

Um competidor voraz. Histórias dizem que os técnicos de Nova York tinham que esconder o capacete de LT para que ele não jogasse quando estava com suspeitas de concussão. Foi MVP da temporada de 86, além de campeão do Super Bowl XXI e XXV.

Menções honrosas: Ray Lewis, Jack Lambert, Chuck Bednarik, Ray Nitschke;

– Cornerback

Deion Sanders (Crédito: Twitter/ Reprodução)

Deion Sanders (Crédito: Twitter/ Reprodução)

DEION SANDERS

“Primetime”. Esse era o apelido de Deion Sanders, um dos mais atléticos jogadores que já jogaram na liga. Além de cornerback, retornava chutes e punts, eventualmente podia jogar de WR e RB, além de ter jogado profissionalmente baseball e até ter participado de uma World Series. Ganhou dois Super Bowls de maneira seguida: em 1995 pelo San Francisco 49ers e em 1996 pelo Dallas Cowboys

Jogou pelo Atlanta Falcons, San Francisco 49ers, Dallas Cowboys, Washington Redskins e Baltimore Ravens. Antes do surgimento de Devin Hester, era considerado o melhor retornador da história, e detém o recorde de mais touchdowns defensivos/special teams, com 19.

DICK “NIGHT TRAIN” LANE

A carreira de Lane começou por que ele não gostava de seu trabalho na fábrica de avião em que trabalhava, com isso foi tentar um peneira no Los Angeles Rams e passou. Logo em sua primeira temporada, anotou 14 interceptações em 12 jogos, um recorde na liga até hoje.

Seu apelido veio pois tinha medo enorme de avião, então sempre pegava o trem noturno para viajar para os jogos.

Foi 6X all-pro e selecionado para o time definitivo dos 75 anos da liga. Lane era um hard-hitter, e muitas de suas técnicas de tackle seriam consideradas ilegais hoje, como seus hits na cabeça e no pescoço do adversário.

Menções honrosas: Mel Blount, Herb Adderley, Willie Brown, Darrell Green;

– Safety

Ronnie Lott (Crédito: Facebook/ Reprodução)

Ronnie Lott (Crédito: Facebook/ Reprodução)

RONNIE LOTT

O mais agressivo jogador da história da liga. Esse é Ronnie Lott, jogador que fez história no período áureo dos 49ers. Liderou a forte defesa do time, a quatro dos cinco Super Bowls que o time venceu entre a década de 80 e 90.

Sua vontade de jogar era tanta que o fez perder parte do dedo. Durante a temporada 1985, Lott sofreu uma fratura no dedo que o tiraria para o restante da temporada e por toda a seguinte, e solução foi simples: o jogador cortou parte do dedo fora e continuou a jogar.

Lott também era versátil. Foi selecionado dez vezes ao Pro Bowl, em 3 posições diferentes: cornerback, free safety e strong safety.

ROD WOODSON

Foi draftado em 1987 pelo Pittsburgh Steelers na décima escolha geral, e por lá jogou por 10 anos, recebendo grande carinho da torcida, que pendurava um banner em todo jogos dos Steelers escrito “Rod is god”. Em sua temporada de calouro ainda encontrou tempo para participar de competições de 110 metros com barreiras, e em 1987 tinha o quarto tempo mais rápido do mundo na competição.

Depois de uma passagem de um ano pelo San Francisco 49ers, foi para o Baltimore Ravens, aonde foi peça vital da grande defesa que ganhou o título do Super Bowl XXXV. Detém o recorde de interceptações retornadas para touchdowns, com 12.

Menções honrosas: Mike Haynes, Emlen Tunnell, Ed Reed;

– Defensive end

Reggie White (Crédito: Reprodução/ Site oficial do Hall da Fama da NFL)

Reggie White (Crédito: Reprodução/ Site oficial do Hall da Fama da NFL)

REGGIE WHITE

Discultivelmente o melhor jogador de defesa da história. Reggie teve um início de carreira diferente do habitual. Começou sua carreira como profissional na United States Football League, aonde jogou por dois anos no Memphis Snowboats. Quando a liga faliu, foi selecionado no draft suplementar pelo Philadelphia Eagles. Nos Eagles, se tornou o líder de sacks na história do time e o único jogador da história a ter 20 ou mais sacks em 12 jogos.

Em 1993 se tornou free agente e foi para o Green Bay Packers, aonde também se tornou o jogador com mais sacks na história do time. Além dos números, White era um líder em campo, e comandou o time, junto com Brett Favre, ao título do Super Bowl XXXI.

DEACON JONES

Jones foi o líder da “fearsome foursome”, linha defensiva dos Rams dos anos 1960 e 1970 considerada até hoje uma das melhores de todos os tempos. Era especialista em sacar quarterbacks, termo aliás, inventado por ele. Como sacks em sua época ainda não era uma estatística contada, seus números não são reconhecidos pela liga, porém em contagem extra-oficial, Jones tem 173½ sacks, que o colocaria em terceiro de todos os tempos, e líder no quesito no ano de sua aposentadoria.

O jogador revolucionou a posição de defensive end por ser especializado em pressionar o quarterback e ser muito mais atlético do que outros jogadores da posição. Foi ele que inventou o termo sack, pois ele dizia que sacar um quarterback era a mesma coisa que “colocar todos os linhas ofensiva em um saco, e bater nele com um taco de baseball”.

Menções honrosas: Bruce Smith, Gino Marchetti, Willie Davis, Lee Roy Selmon;

– Defensive tackle

Joe Greene (Crédito: Reprodução/ Site oficial do Hall da Fama da NFL)

Joe Greene (Crédito: Reprodução/ Site oficial do Hall da Fama da NFL)

JOE GREENE

A pedra fundamental da “steel curtain”, defesa dos Steelers da década de 1970 que determinou a dinastia do time, e trouxe 4 Super Bowls para a cidade. Greene é considerado o melhor jogador da história dos Steelers. O único jogador a anotar uma interceptação, um fumble forçado e um recuperado em um Super Bowl.

A defesa dos Steelers em 1976 liderada por ele foi uma das melhores da história, com médias de menos de 10 pontos por jogo, e durante um período de 9 jogos, essa média foi de pouco mais de 3 pontos por partida.

Foi selecionado para o Pro Bowl em dez de suas 12 temporadas;

 

BOB LILLY

Mr. Cowboy. Esse é o apelido de Lilly, primeira escolha de draft da história dos Cowboys e , discutivelmente, o melhor defensive tackle e jogador dos Cowboys de todos os tempos. Seu técnico em Dallas, Tom Landry, disse, durante a carreira de Lilly, que: “Nós estamos observando um homem que se tornará lenda”. E ele se tornou. Fez parte da primeira “doomsday defense” que ganhou o título do Super Bowl VI para os Cowboys. Constantemente arrastava marcações triplas para seu lado, e seu sack de 29 jardas em Bob Griese no Super Bowl em que venceu, é ainda hoje uma das mais célebres jogadas defensivas de todos os tempos.

Além de grande jogador, era também extremamente resistente. Jogou 196 jogos consecutivos em sua carreira, e somente deixou de jogar um. Foi o primeiro jogador a ter sua camisa no “ring of honor” dos Cowboys.

Menções honrosas: Merlin Olsen, Alan Page, Randy White;

Comments
To Top