NFL

Aprendendo o futebol americano – Os Melhores da História – Ataque

Nesta semana, a coluna Quinta Descida, dando sequência ao especial para ensinar futebol americano aos que ainda não tiveram muito contato com o esporte, traz uma pequena lista com alguns dos melhores jogadores da história do futebol da bola oval. E, nesta quinta, será a vez de mostrarmos um pouco dos principais responsáveis por marcar pontos para a equipe: os atletas do time de ataque. Vamos a eles:

– Quarterbacks

Crédito: Twitter/ Reprodução

Joe Montana (Crédito: Twitter/ Reprodução)

JOE MONTANA: considerado quase por unanimidade o melhor quarterback de todos os tempos. Fez sua carreira sobretudo no San Francisco 49ers, onde jogou de 1979 a 1992. Ganhou quatro Super Bowls na franquia californiana. Foi MVP (Jogador Mais Valioso) dos Super Bowl XVI, XIX e XXIV.

Em 1993, foi trocado com o Kansas City Chiefs, onde permaneceu nas últimas duas temporadas de sua carreira. Em sua carreira, somou 117 vitórias e 47 derrotas, tendo lançado para 40.551 jardas totais e 273 touchdowns. Entrou para o Hall da Fama em 2000.

JOHNNY UNITAS: outro nome quase sempre presente na lista de melhores líderes de ataque da história da liga. Passou a grande parte de sua extensa carreira no Baltimore Colts, time que defendeu de 1956 a 1972. Em 1973, passou uma temporada no San Diego Chargers antes de se aposentar.

O camisa 19 dos Colts foi campeão do Super Bowl V, com uma vitória sobre o Dallas Cowboys por 16 a 13. Unitas somou 118 vitórias, 64 derrotas e quatro empates em sua carreira, tendo lançado para 40.239 jardas e 290 TDs. Foi nomeado para dez Pro Bowl, o jogo das estrelas da NFL. Entrou para o Hall da Fama em 1979.

Menções honrosas: Dan Marino, Otto Graham, Peyton Manning, Tom Brady e Brett Favre.

– Running backs

Crédito: Twitter/ Reprodução

Jim Brown (Crédito: Twitter/ Reprodução)

JIM BROWN: é um dos corredores mais habilidosos da história da NFL. Jogou nove temporadas na liga (1957 a 1965), todas pelo Cleveland Browns, e encerrou a carreira com 2.359 carregadas para 12.312 jardas, o que dá uma média de 5,2 jardas por corrida. Anotou nada menos do que 106 touchdowns corridos.

Foi nomeado MVP da NFL em 1957, 1958 e 1965 e liderou a liga em touchdown corridos em cinco temporadas. Entrou para o Hall da Fama em 1971.

WALTER PAYTON: teve uma carreira de 13 anos na NFL (1975 a 1987) e só vestiu a camisa do Chicago Bears. Ele era um running back bastante forte e ganhava a maioria das jardas correndo pelos espaços abertos no meio da linha ofensiva.

Payton entrou para o Hall da Fama em 1993 e encerrou a sua carreira com impressionantes 3.838 corridas para 16.726 jardas. Anotou 110 TDs corridos. Liderou a NFC em jardas corridas de 1976 a 1980. Foi nomeado para nove Pro Bowls e teve nove temporadas com pelo menos 1.300 jardas terrestres.

Menções honrosas: Barry Sanders, Emmith Smith, O.J. Simpson e Gale Sayers

– Wide receivers

Jerry Rice (Crédito: Twitter/reprodução)

Jerry Rice (Crédito: Twitter/reprodução)

JERRY RICE: impossível não colocá-lo nesta lista, já que é considerado por muitos não somente o melhor wide receiver, mas também o melhor jogador de futebol americano de todos os tempos. Em 20 temporadas na NFL, passou 16 delas no San Francisco 49ers. Ainda teve uma passagem boa no Oakland Raiders e encerrou sua carreira no Seattle Seahawks. Ganhou três Super Bowl na carreira, todos com os 49ers.

Jerry Rice, que jogou profissionalmente de 1985 a 2004, entrou para o Hall da Fama em 2010. Um tremendo atleta, o wide receiver tem números que não deixam margem para dúvidas quanto à sua qualidade: são 1.549 recepções na carreira para 22.895 jardas e 197 recepções para touchdown. Sua média é impressionante: 14,8 jardas por recepção.

DON HUTSON: esse camisa 14 do Green Bay Packers, que atuou de 1935 a 1945, é responsável por revolucionar a posição e o futebol americano. Entrou para o Hall da Fama em 1963 e, na carreira, somou 488 recepções, 7.991 jardas e 99 recepções para TD.

Alguns feitos de Hudson são impressionantes: ele lidou a NFL em recepções para TD em nove temporadas, liderou a liga em recepções por oito temporadas e também liderou em jardas recebidas em sete temporadas. Simplesmente um atleta diferenciado.

Menções honrosas: Raymond Berry, Lance Alworth, Randy Moss e Michael Irvin.

– Tight ends

Crédito: Instagram/ Divulgação

Tony Gonzalez (Crédito: Instagram/reprodução)

TONY GONZALEZ: iniciou sua carreira em 1997, quando foi selecionado pelo Kansas City Chiefs na primeira rodada do draft, e permaneceu na equipe por 12 temporadas antes de se transferir para o Atlanta Falcons, onde também foi um dos principais jogadores da equipe. Encerrou a sua carreira ao final da última temporada, em 2013.

Suas estatísticas impressionam, já que ele tem números de wide receiver mesmo sendo um tight end. São 1.325 recepções na carreira para 15.127 jardas (média de 11,4 jardas por recepção) e 111 touchdowns. Se formos analisar somente as estatísticas, é o melhor tight end da história da National Football League.

JOHN MACKEY: jogou por dez anos na NFL (1963 a 1972), sendo nove temporadas no Baltimore Colts e uma no San Diego Chargers, e entrou para o Hall da Fama em 1992, sendo somente o segundo da posição na época a entrar para a galeria de ídolos do futebol americano profissional. Revolucionou a forma como se joga na posição.

Em sua carreira, somou 331 recepções para 5.236 jardas e 38 TDs recebidos. Em 1966, recebeu para 829 jardas e 9 TDs, maiores marcas de sua carreira em uma única temporada. Faleceu em julho de 2011, em Baltimore.

Menções honrosas: Mike Ditka, Kellen Winslow e Ozzie Newsome.

– Linhas ofensivas

Anthony Muñoz (Crédito: Reprodução/ Site oficial do Hall da Fama da NFL)

Anthony Muñoz (Crédito: Reprodução/ Site oficial do Hall da Fama da NFL)

ANTHONY MUÑOZ: um dos melhores na posição de tackle, Muñoz atuou na NFL de 1980 a 1992, tendo vestido a camisa do Cincinnati Bengals em todas essas temporadas. Entrou para o Hall da Fama em 1998. Ajudou os Bengals a faturarem dois títulos da Conferência Americana (AFC), em 1981 e 1988, mas seu time perdeu ambos os Super Bowls na sequência, os dois para o San Francisco 49ers.

Em sua carreira, disputou 185 partidas e foi selecionado para 11 Pro Bowls, o jogo das estrelas da NFL. Com braços longos e movimentação muito boa, era uma verdadeira parede de proteção para os quarterbacks e abria espaço para os running backs correrem.

JOHN HANNAH: em 13 temporadas na NFL (1973 a 1985), este left guard defendeu somente o New England Patriots. Disputou 183 partidas pela franquia de Foxborough e entrou para o Hall da Fama em 1991. Chegou a disputar o Super Bowl XX, último jogo de sua carreira, mas o seu New England Patriots não pôde evitar a derrota para o Chicago Bears por 46 a 10.

John Hannah foi nomeado o ‘Jogador do Século’ do New England Patriots em votação realizada por torcedores, em 2000, e sua camisa 73 foi aposentada pelo time de Boston. Não era um dos maiores linhas ofensivas de sua era, mas tinha muita força e combinava essa qualidade com inteligência esportiva e com seu porte atlético. Foi selecionado para o Pro Bowl em nove de suas últimas dez temporadas na liga.

Menções honrosas: Jim Parker, Forrest Gregg, Gene Upshaw, Jim Otto e Mike Webster.

Comments
To Top